Ovo é um vilão?

Lista de e-mail

Cadastre-se e receba novidades e conteúdos exclusivos

Thank you for your message. It has been sent.
There was an error trying to send your message. Please try again later.

Olá, Humanos! 

Hoje eu gostaria de fazer uma reflexão sobre a importância do senso crítico a partir de uma matéria veiculada recentemente pela revista Metrópoles. 

O texto da reportagem aborda uma pesquisa feita com a aplicação de um questionário em mais de meio milhão de pessoas, que foram acompanhadas por 16 anos. 

No estudo, o consumo de ovos e colesterol foi associado com maiores casos de mortalidade por doenças cardiovasculares e câncer. 

Para uma pessoa leiga, pode ser que num primeiro momento, pareça um achado muito importante e, portanto, os ovos devem ser excluídos. 

Mas vamos pensar um pouco em como essa pesquisa foi feita? 

Pesquisas populacionais com aplicação de questionário não são capazes de medir causa e consequência, apenas conseguem inferir uma correlação e, geralmente, muito fraca. 

O que isso significa? 

Não se pode afirmar que o ovo CAUSOU essas mortes, porque esse estudo não controlou outros fatores que poderiam levar ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e câncer. 

Para fazer essa afirmação, seria necessário, pelo menos, um ensaio clínico randomizado, em que se compararia um grupo comendo ovos e outro não e se controlaria, pelo menos, outros fatores da dieta dessas pessoas. 

Será que a única diferença entre quem morreu e não morreu era apenas o consumo de ovo? 

Muito provavelmente, não! 

Principalmente porque, geralmente, as doenças crônicas são multifatoriais, dependem de fatores genéticos importantes e, principalmente, todo um estilo de vida desregrado: alimentação não saudável no geral, ausência da prática de exercício, sono ruim e estresse. 

Além disso, quando vamos interpretar um artigo, precisamos considerá-lo dentro de todo o conhecimento já existente a partir de outras pesquisas. 

Pela literatura científica atual, já se sabe que o colesterol vindo dos alimentos não é o causador do aumento de colesterol ruim (LDL), mas sim esses fatores: 

A genética tem influência forte, como no caso da hipercolesterolemia familiar, uma doença hereditária. 

Excesso de gorduras saturadas: que estão bem maior quantidade no bacon, na picanha, etc; 

Consumo calórico em excesso de carboidratos refinados e pobres em fibras; 

Gordura trans; 

Sedentarismo. 

Por isso, cuidado com as notícias que você encontra pela internet, porque existe muita contradição em informações sobre nutrição, justamente por uma má interpretação do material científico. 

Me conta aí nos comentários o que você acha sobre o assunto e não se esqueça de me acompanhar nas outras redes!

Instagram Thaís Araújo

Youtube Canal Humaniza Aí!

Instagram Oficina Humana

Linkedin